Top

Quer vencer? Comece a olhar as coisas por outro ângulo

Outro dia ouvi uma amiga desabafar sobre o egoísmo do marido. Ela estava extremamente nervosa. O suposto egoísmo descrito por ela consistia no fato de o marido AFIRMAR que iria retornar à academia e, na sequência, realizar a matrícula em um estúdio de atendimento personalizado e comprar roupas e suplementos (bem caros, segundo ela, rsrsr) para o seu treino. A minha amiga estava decepcionada por ele destinar uma parte do orçamento da casa em benefício próprio, sem uma consulta prévia.
Aqui em casa não é diferente. Volta e meia, meu marido também destina um valor para um evento de capoeira (coisa que ele é apaixonado), as vezes com direito à viagem aérea e hotel por dois dias em outro estado. E eu também ficava muito chateada com isso. “Como ele pode ser tão egoísta?”, pensava.
Mas, depois da aula Papo calcinha comecei a olhar as coisas por outro ângulo: “É egoísmo destinar uma parte do seu dinheiro para fazer algo de que se gosta?” Pensando assim, não há nada de errado nisso. Mas, como é difícil para nós, mulheres, fazer isso, coisa que os homens fazem com tanta maestria. Precisamos aprender com eles.
A partir daí, descobri o quanto tenho me colocado em segundo plano. Já entrei em uma loja para comprar uma calça e saí de lá com roupas para os dois filhos, o marido e sem a minha calça. Ok, agora que compreendi isto, o que fazer com tal informação?
Então, resolvi criar metas simples e fáceis para melhorar isso. Um dia peguei uma folga do trabalho e passei o dia no shopping com minha irmã e minha sobrinha. Havia muito tempo que não fazia isso. FOI LIBERTADOR! E cada vez que meu marido chega dizendo que vai comprar algo ou fazer algo, eu me coloco uma meta de algo que queria muito e estava sempre adiando.
Voltei para a academia, não compro mais coisas de qualidade duvidosa naquela lojinha baratinha (meu marido não faz isso), quero aprender sobre maquiagem, voltar a estudar aquilo que amo e não aquilo que dá, e outras cositas mais. Tudo de maneira bem sútil, um passo de cada vez. Mas, estas pequenas coisinhas tem feito uma revolução em mim.  O melhor de tudo é que não me sinto culpada e nem egoísta por isso.

Roseane Gonçalves

Escolete de Formosa – GO
 

Comentários

  • Rita de Cássia
    3 de março de 2017

    ???

    Responder
  • Scheila Leal
    4 de março de 2017

    Lindo seu post Roseane! Temos que nos policiar constantemente, pois nos colocamos em segundo plano com muita facilidade! Obrigada por sua contribuição, o Brasil agradece! Beijo!

    Responder
  • Gladis Wingert
    4 de março de 2017

    Muito verdadeiro! O aprendizado nunca é fácil…mas precisamos ir devagar e sempre. Fazer as mudanças, baseadas nas nossas escolhas. Isso não é egoísmo, é ser autêntico e saber que a nossa felicidade é tão importante como a das pessoas que amamos! Obrigada!

    Responder
  • luciane
    4 de março de 2017

    “Vamos nos permitir”.
    Parabéns pelo texto!

    Responder
  • Roberta
    4 de março de 2017

    Devemos pensar em nós e colocar metas.
    Ótimo momento para pensar o tema.

    Responder
  • Sheila Pereira
    4 de março de 2017

    Bem a nossa cara, isso de nos colocarmos em segundo plano. Por esses dias, estava conversando com uma amiga que faz psicoterapia por conta do relacionamento, e uma das sugestões do profissional; foi para ela separar 50% do próprio salário e fazer o que bem entendesse, e a outra metade sim, contribuir com as despesas da casa, onde ela deixava tudo lá, enquanto o marido claro ja tinha as suas prioridades.

    Responder
  • Gisele
    15 de março de 2017

    Sem querer nos colocamos em segundo plano, eu também sempre estou fazendo uma auto análise para não esquecer de mim, nunca. Belo relato!

    Responder

Publicar um comentário