Top

Não à FO-FO-CA!

Olá Escoletes!
Tudo bem com vocês?
Uma coisa é fato: toda Escolete tem as suas aulas preferidas. Duvido que alguma não tenha!
Eu tenho várias, mas tem uma que eu gosto de um jeitinho especial. É aquela sobre a FO-FO-CA, sabe?
Desde a primeira turma, quando conheci a EDV, sou apaixonada por essa aula e carrego os seus ensinamentos até hoje.
A fofoca é um ciclo vicioso que não te leva a lugar nenhum.
Mas e por que as pessoas fofocam? São vários os motivos. Seja para se sentir parte de um grupo ou para se popularizar, para dar risada e ter assunto em uma conversa, ou por razões como inveja, ciúmes e até por baixa autoestima. O fato é que é muito fácil entrar na fofoca. Se não tivermos vigilância, entramos nela até sem se dar conta.
Tem uma passagem sobre esse assunto que foi decisiva para alicerçar a minha posição em relação à fofoca. Em uma aula do Curso de Liderança da EDV, a nossa profe Soraia Schutel, disse brilhantemente que: “A fofoca suja dentro e suja o que você produz, ou seja, os seus resultados”. E é fato. Você pode ser o profissional mais competente da empresa e ter os resultados mais extraordinários, mas se você entrar no ciclo da fofoca, ela vai sujar os seus resultados e fazê-los perder valor. É um jogo perdedor.
E engana-se quem pensa que está ganhando vantagem e prejudicando apenas a pessoa vítima da fofoca. NÃO! Aquele que a faz é o mais prejudicado da história.
Mas o foco aqui não é falar da fofoca ruim e sim da fofoca boa, a FOFOCA DO BEM. Você conhece-a? Eu a conheci na EDV e busco aplicá-la toda vez que me deparo com uma fofoca ruim.
A fofoca do bem consiste em falar coisas boas sobre as pessoas. Por exemplo: se você chega a um lugar e alguém está falando do comportamento da esposa do fulano. Sabe o que você faz? Ao invés de querer saber mais sobre a conversa e participar dela, você diz algo positivo sobre essa pessoa, como um elogio sobre algum outro aspecto da sua vida. Essa atitude quebrará o ciclo negativo da fofoca e mostrará que você não está a fim de participar de conversas com caráter negativo sobre os outros. Se você não conhece a pessoa da qual estão falando, você pode puxar outro assunto e iniciar uma nova conversa.
E se você puder, é ainda mais recomendado fugir desse tipo de conversa, passar bem longe. Em algumas situações não temos como escapar, mas se for possível é melhor nem participar, nem se envolver.
E é sempre bom lembrar que assim como tem pessoas que adoram estar perto de fofoqueiros para saber as últimas novidades, tem aquelas que evitam qualquer contato e preferem passam longe dos mesmos.
Então, pense bem como você quer ser conhecida: como aquela que sabe tudo sobre a vida de todo mundo e tem sempre algo para contar, ou como aquela pessoa que agrega valor aos outros e tem sempre algo bom para somar nas conversas.
A escolha é de cada um de nós, e tenha certeza de uma coisa: as melhores pessoas e oportunidades passam longe dos fofoqueiros! E pense aqui no bem que você está fazendo ao mundo e às pessoas toda vez que quebra um ciclo da fofoca.
Mas atenção: desenvolver o hábito da fofoca do bem não é tão fácil como desenvolver o hábito da fofoca ruim. Afinal, vivemos quase que uma cultura de atentar muito à vida do outro e falar sobre ela. Mas, com vigilância e comprometimento, você habitua-se a evitar a fofoca e se preciso for, fazê-la do BEM. Já ouviu aquela frase de que o ciclo da fofoca acaba quando chega aos ouvidos de uma pessoa inteligente? Pois então você já sabe o que fazer!

Vamos lá transformar o mundo começando por nós mesmas?

Até breve minhas queridas!

Comentários

  • Roberta
    7 de agosto de 2017

    As notas do meu “Dicionário de Você” sempre aumentam depois dos textos.
    A fofoca do bem precisa ser utilizada em vários momentos da vida.
    Vou começar:
    As colunistas do blog da Escola de Você escrevem textos que nos fazem refletir e partir para ação. Acredito que a leitura pode influenciar para melhor a vida de uma aluna e/ou embaixadora.
    Obrigada.

    Responder
  • Joanna Cassiano
    7 de agosto de 2017

    “A fofoca suja dentro e suja o que você produz, ou seja, os seus resultados” Essa frase diz tudo! Super concordo.

    Responder
  • Grazi CAVENAGHI
    7 de agosto de 2017

    Isso mesmo Scheila!
    Eu também tenho esse aprendizado como uns dos maiores que a Escola me trouxe. E sabe que tem dado muito certo?
    Vamos juntas fazer a nossa parte! Confesso que é difícil, mas iremos passo a passo. Juntas somos + ??

    Responder
  • Flávia
    7 de agosto de 2017

    Amei a dica da Sheila Leal pra quebrar o ciclo da fofoca falando bem da pessoa que estão comentando algo ruim!
    Confesso q sempre me senti numa saia justa qdo alguém vinha comentar algo de alguém à quem admiro ou simplesmente desconheço….
    Sair de perto ou falar algo positivo realmente fará toda diferença!
    Gratidão pelo texto?????

    Responder
  • CARLA REGINA PIRES CONTI
    7 de agosto de 2017

    Perfeito!!!! Essa Escola é essencial para o bem de cada uma e para o bem da humanidade!!!! Gratidão

    Responder
  • Sheila Pereira
    7 de agosto de 2017

    Tive que ir além disso! Pedi mesmo para não me falar mais sobre A ou B ainda mais se for falar mal. Pois a pessoa não entendia que não era legal isso. Então tive que ser bem direta e pedir por favor não fazer mais esse tipo de comentário. E que estaria aberta para falar sobre qualquer outro assunto que não fosse a fofoca.

    Responder
  • Rita de Cássia Medeiros
    7 de agosto de 2017

    A fofoca muitas vezes destrói relacionamentos. Ficar longe é melhor.
    Quando é uma fofoca do bem para todos aí sim.

    Responder
  • Giuliana Mota de Mesquita
    14 de agosto de 2017

    “Quando Pedro fala de Paulo, sei mais de Pedro do que de Paulo.” frase atribuída a Sigmund Freud. Ilustra bem o que pensamos sobre quem fala coisas negativas e quem fala coisas positivas.

    Responder
  • Francisca Flávia da Silva Oliveira Ferreira
    29 de dezembro de 2017

    perfeito!!! a fofoca em si destroi, menos fofoca e mais atitudes boas.

    Responder

Publicar um comentário